Apenas 10% dentro da lei


Em oito operações do Detran, foram apreendidas 20 motocicletas

Em dois meses de fiscalização, foram realizadas oito operações do Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF) para cumprir a lei do motofrete. Durante as ações, foram apreendidas 20 motocicletas que não estavam dentro da legislação, além de multa aos condutores. Dos dez mil motociclistas que trabalham com frete, apenas 10% estão regularizados, segundo o órgão de trânsito.

Atualmente, somente 1.053 motociclistas estão cadastrados no Detran. “É um número baixo, se comparado com os quase dez mil motofretistas que circulam no DF, segundo o sindicato. Isso coloca que apenas 10% se regularizou”, destaca o auditor de trânsito Alexandre Alves, do Núcleo de Operação Técnicas.

Mesmo com a fiscalização adiada por várias vezes, é comum encontrar motofretistas, conhecidos popularmente como motoboys, sem esses equipamentos obrigatórios. Quem usa moto para transportar cargas tem que instalar itens de segurança como antena corta-pipa, mata cachorro para proteger as pernas, adesivos no bagageiro e no capacete e vestir colete com faixas refletoras.

O governo do Distrito Federal comprou 3,5 mil kits entre coletes, antenas corta-pipa e adesivo para distribuir gratuitamente. Mas a busca dos itens ainda é pequena no Departamento de Estrada de Rodagem (DER). O estoque no depósito do DER continua cheio. Apenas 1,5 mil kits foram distribuídos aos motofretistas.

Para José de Araújo, 53 anos, a legalização dos motociclistas é essencial. Segundo ele, o curso de formação – um dos quesitos para a nova lei – é fundamental na carreira. “Aprendemos tudo. De Direito até primeiro socorros. Foram quase 200 horas de ensinamentos”, disse o trabalhador que está há 25 anos no serviço de motofrete.

O presidente do Sindicato dos Motociclistas Profissionais do DF, Rivaldo Alves, afirma que muitos trabalhadores estão demorando a realizar o curso devido ao baixo salários. Segundo ele, cerca de 200 motofretistas estão realizando o curso gratuitamente. “Em breve, a situação para a categoria irá mudar”, conclui.

Os interessados em se regularizar devem procurar o SEST – SENAT, que é quem oferece o curso de especialização de motofretista no DF. Existe a previsão de uma nova turma para o dia 7 de abril. Após a conclusão do curso, o motofretista deve retirar seu kit na sede do DER, que fica no SAM Bloco C – Setor Complementares.

Bruno Cassiano

Assessoria de Comunicação
Sindeeco – DF
  1. Nenhum comentário ainda.
(não será publicado)