Lei dobra prazo para cliente sair de estacionamento no DF após pagar ticket


Nova regra que amplia tempo de 15 para 30 minutos passa a valer a partir desta terça. Mudança atinge shoppings, mercados, hospitais e aeroporto.

Entrou em vigor nesta terça-feira (2) a lei que aumenta para 30 minutos a tolerância para que o cliente saia do estacionamento após pagar o ticket. Até então, o limite era de 15 minutos. De acordo com o texto, são obrigados a respeitar a nova regra shoppings, mercados, hospitais e o aeroporto. Todos os estabelecimentos deverão informar o novo prazo, manda a lei.

Apesar das alterações, a regra não muda a tolerância inicial de 15 minutos sem que o consumidor pague pelo estacionamento. Ou seja, os 30 minutos só valem depois que o cliente já pagou o bilhete.

A lei é de autoria do deputado Bispo Renato Andrade (PR). Ao G1, o distrital disse que a ideia foi sugestão de eleitores e que alguns espaços comerciais do DF já estão cumprindo a nova regra.

“Sabemos de um shopping em Taguatinga em que já está funcionando. Outros, como sempre, tentam burlar, buscando um meio de fazer com que ela não seja cumprida. Mas a lei não é inconstitucional. Não estamos mudando valores. Apenas dando mais tempo para o consumidor.”

De acordo com o deputado, a norma vai beneficiar quem tem menos mobilidade. “Idosos, pessoas com algum tipo de deficiência e pais que saem com as crianças têm dificuldade de pagar e sair do lugar a tempo. Por exemplo, demora a deixar a criança na cadeirinha. E se deixar o carro com o manobrista, é outra taxa maior ainda, e que a maioria das pessoas não tem condição de pagar.”

Para a aposentada Mery Borges, a mudança é bem-vinda. “É uma correria porque o prazo é muito curtinho. Se você estiver com bagagem, compra ou qualquer outra coisa, você fica muito pressionado”, disse.

O presidente do sindicato que representa as empresas de estacionamento, Cleber Landim, criticou a medida. “É mais uma vez o Estado interferindo na iniciativa privada. Não se pode padronizar todos os prazos porque há estacionamentos maiores que outros. O que vai acontecer é que a pessoa vai pagar só 10 minutos porque já está contando com os 30 minutos de bônus.”

Fonte: G1/DF

Assessoria de Comunicação 

Sindeeco – DF

  1. Nenhum comentário ainda.
(não será publicado)