Archive for category Notícias

Feliz Natal

Nenhum comentário.

Enfermeira e auxiliar são suspeitos de falsificar atestados e receitas médicas

Dupla foi levada a depor. Investigação do MP-DF aponta que grupo usou carimbos da Secretaria de Saúde em documentos irregulares.

(Foto: Robson Coutinho/TV Globo)

Um auxiliar de enfermagem e uma enfermeira da Secretaria de Saúde foram conduzidos coercitivamente nesta quinta-feira (8) suspeitos de falsificar atestados médicos e receitas de remédios no Distrito Federal. Durante a operação, batizada de Trackcare e realizada em parceria entre o Ministério Público e a Polícia Civil, também devem foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão. A determinação partiu da Vara Criminal do Guará.

As buscas ocorreram no Centro de Saúde 3 do Guará II (onde trabalham) e nas casas deles, no Cruzeiro e Sudoeste. Documentos como folhas de ponto e atestados foram apreendidos. A Secretaria de Saúde informou que a Corregedoria tem atuado de forma proativa para coibir irregularidades na apresentação de atestados médicos por parte dos servidores e que há investigações em curso há cinco meses.

“A secretaria destaca que não tolera atos ilícitos e reconhece que tais práticas prejudicam o atendimento à população, além de sobrecarregar outros servidores. Será iniciada uma investigação rigorosa para apurar a conduta dos dois profissionais citados na Operação TrackCare”, declarou a pasta.

De acordo com os investigadores, a dupla usava os atestados médicos falsificados para abonar suas faltas e se apropriava de remédios que deveriam ser distribuídos para população. Os suspeitos usavam carimbos de médicos da secretaria para falsificar atestados e as receitas de medicamentos. Eles foram identificados como o auxiliar de enfermagem Marcelo Mendes Cereja e a enfermeira Daniella Moaiana de Toledo. A defesa dos dois não foi localizada.

Segundo as investigações, que partiram de denúncias anônimas, entre janeiro e agosto de 2016, Marcelo Cereja apresentou 16 atestados médicos e teve 47 incidências duvidosas de abonamento em sua folha de ponto. Em outubro, Cereja ganhou salário líquido de R$ 5,12 mil. Já Daniella, R$ 10,2 mil.

“Nos últimos dois anos, eles se revezevam nas funções de chefia naquele centro, no núcleo de enfermagem. Um chegava a atestar a folha de ponto do outro, a fornecer atestado de comparecimento para o outro”, promotor de Defesa da Saúde (Prosus) Luis Henrique Ishihara, que se debruçou por três meses no caso. Os promotores afirmam que o grupo de cinco médicos que tiveram o carimbo falsificado não sabiam da prática.

Entre os crimes em apuração estão o de peculato (uso do cargo para enriquecimento), falsificação de documentos, falsidade ideológica e inserção de dados falsos em sistema de informações As investigações também apuram se dois sistemas de informática da secretaria, o Forponto e o Trackcare, foram “violados” de forma premeditada.

A ação foi conduzida pela 4ª Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde (Prosus) e da Promotoria de Justiça Criminal de Defesa dos Usuários da Saúde (Pró-Vida), com apoio da Delegacia de Combate aos Crimes contra a Administração Pública (Decap).

Horas extras
Ao mesmo tempo em que apresentava série de atestados, Danielle disse ter feito 402 horas extras em cinco meses, de acordo com o promotor Ishihara. Segundo ele, os chefes da dupla também serão investigados para saber se foram coniventes com a situação.

As fraudes têm impacto no atendimento público, dizem os promotores.

“Estatisticamente, nem que se dobre a quantidade de servidores será possivel atender a demanda diante de tanta fraude. Brasília devia ter atendimento de primeiro mundo. Mas é um dos piores locais. E a população sofre”, continuou Ishihara.

De acordo com o promotor de Defesa dos Usuários dos Serviços de Saúde Maurício Miranda, o MP vai recomendar que a Secretaria de Saúde mude práticas para coibir as fraudes. Entre elas a facilidade para alteração nos softwares usados para registro de faltas e de produtividade. “Vamos adotar algumas medidas e verificar se tem como estabelecer alguns protocolos no sentido de diminuir a sangria de faltas de profissionais na secretaria.”

O MP disse que ainda tem de apurar por que remédios foram levados e qual era a intenção dos dois enfermeiros. Segundo Miranda, Daniella chegou a distribuir remédios na última campanha política. No entanto, ele declarou que não poderia informar de que candidato se tratava porque as investigações seguem sob sigilo.

Fonte: G1/DF

Assessoria de Comunicação

Sindeeco – DF

Nenhum comentário.

Detran modifica funcionamento de postos do Na Hora no DF

Serviços do Detran nos postos serão restritos à emissão de licenciamento. No DF, apenas 52,6% da frota de veículos está com documentos em dia.

A partir da próxima segunda-feira (19), o serviço do Detran em postos do Na Hora do Distrito Federal ficará restrito à emissão do licenciamento de veículos. De acordo com o Detran, a medida é uma forma de evitar as longas filas previstas o mês de outubro, quando o documento começa a ser cobrado. No DF, apenas 52,3% da frota de 1,6 milhão de veículos está com o documento em dia.

O atendimento será ser feito exclusivamente nas unidades de CeilândiaGamaRiacho Fundo I,  rodoviária do Plano Piloto, Sobradinho eTaguatinga. Os motoristas que não tiverem o documento vão receber multa de R$ 191,54 e terão o veículo apreendido e removido ao depósito. A partir de 4 de novembro, a multa passa a custar R$ 293,47.

Motoristas que ainda não possuem o certificado de 2016 podem imprimir os boletos pelo site do Detran e realizar o pagamento em caixas eletrônicos, por meio do celular ou em casas lotéricas. No Detran é feita a emissão do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV).

De acordo com o Detran, cerca de 6 mil usuários são atendidos diariamente. Em 2015, na véspera da fiscalização do licenciamento veicular, o Detran informou que atendeu 12 mil pessoas em um dia.

Quem pagou todos os débitos e ainda não recebeu o documento do veículo deve buscar a central de atendimento do Detran no telefone 154 ou acessar o site, para checar se existe alguma pendência. O condutor tem ainda os postos de atendimento mais próximos de sua casa para a retirada do documento.

Desconto em multas
A partir do dia 1º de novembro, motoristas do Distrito Federal podem ganhar 40% de desconto no valor de multas de trânsito. Um novo sistema adotado pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) em âmbito nacional vai abater o preço das infrações para quem se cadastrar. O órgão ainda vai acertar os detalhes de como as notificações vão ser enviadas.

Entre as opções em estudo pelo Denatran, estão e-mails e mensagens de celular. O desconto será válido para quem se cadastrar no Sistema de Notificação Eletrônica, regulamentado pela nova resolução.

O objetivo da medida do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) é agilizar o processo e reduzir os gastos com a aplicação das penalidades – hoje, elas são impressas e enviadas pelos Correios.

O desconto de 40% será dado ao motorista que reconhecer que cometeu a infração, sem apresentar defesa prévia ou recurso, e que pagar até a data de vencimento da multa. Apesar do sistema entrar em vigor no primeiro dia de novembro, ainda não há prazo específico para que a “multa eletrônica” funcione de forma efetiva. O Denatran será responsável por desenvolver, padronizar, organizar, manter e fazer a gestão do processo.

Fonte: G1/DF

Assessoria de Comunicação

Sindeeco – DF

Nenhum comentário.

Juiz confirma decisão que suspende multa por farol desligado em rodovias

Advocacia-Geral da União teve pedido negado, mas pode voltar a recorrer. Decisão pede sinalização de vias, mas não vale para multas já aplicadas.

Foto: Divulgação / Polícia Rodoviária Federal

A Justiça Federal em Brasília rejeitou recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) e confirmou nesta sexta-feira (16) a decisão que suspende a aplicação de multa para motoristas que trafegarem com farol desligado em rodovias, durante o dia. A sentença provisória foi emitida no último dia 2 e segue em vigor. Cabe novo recurso.

Com isso, a emissão de multas segue proibida. A decisão não anulou as notificações que já tinham sido emitidas até o dia 2 de setembro. Na sentença, a Justiça define que a cobrança só pode ser aplicada novamente quando as estradas onde vale a nova regra estiverem “devidamente sinalizadas”.

No recurso apresentado na quarta (14), a AGU defende que a Justiça não esclareceu “qual o tipo de sinalização que seria suficiente à aplicação das multas”. O caso voltou às mãos do juiz Renato Borelli, da 20ª Vara Federal, que rejeitou o argumento.

Em nota, a AGU informou que foi notificada e vai apresentar novo recurso ao Tribunal Regional Federal. Segundo o Ministério das Cidades, a decisão da Justiça Federal “não leva em consideração o bem coletivo e a segurança no trânsito”.

“A intenção da aplicação da Lei é preservar vidas aumentando as condições de segurança nas rodovias, estradas e ruas do País”, afirmou o ministério ao comentar a decisão original, no início do mês.

Lei polêmica
A lei federal entrou em vigor em 8 de julho e determina que o farol baixo seja usado em todas as rodovias, mesmo durante o dia. O descumprimento é considerado infração média, com 4 pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 85,13. Em novembro, o valor deve subir para para R$ 130,16.

No primeiro mês de validade da regra, entre 8 de julho e 8 de agosto, a Polícia Rodoviária Federal registrou 124.180 infrações nas rodovias federais. Nas estradas estaduais de São Paulo, outras 17.165 multas foram aplicadas. No Distrito Federal, as multas superaram em 35% o número de autuações por estacionamento irregular.

Regra em debate
O farol baixo é o que as pessoas chamam de farol, até então exigido para todos os veículos somente durante a noite e dentro de túneis. O uso das luzes já era obrigatório para as motos durante o dia e a noite, em todos os lugares.

A ação foi proposta pela Associação Nacional de Proteção Mútua aos Proprietários de Veículos Automotores (Adpvat). No pedido, a associação afirma que a regra nova teria sido instituída com a “finalidade precípua de arrecadação”, o que representaria desvio de finalidade. A ação também se baseia no artigo 90 do Código Brasileiro de Trânsito, que diz que “as sanções previstas no código não serão aplicadas nas localidades deficientes de sinalização”.

“Em cidades como Brasília, exemplificativamente, as ruas, avenidas, vias, estradas, rodovias, etc. penetram o perímetro urbano e se entrelaçam. Absolutamente impossível, mesmo para os que bem conhecem a Capital da República, identificar quando começa uma via e termina uma rodovia estadual, de modo a se ter certeza quando exigível o farol acesso e quando dispensável. Para se evitar infringir a lei, não há outra forma senão os faróis ligados em todos os momentos”, diz trecho da ação.

Fonte: G1/DF

Assessoria de Comunicação 

Sindeeco – DF

Nenhum comentário.

Presidente do Sindeeco – DF propõe nova forma de trabalho entre as empresas do segmento motofretista.

Pensando em uma forma de superar a crise, o presidente do Sindeeco – DF, Reinaldo Pereira, apresentou na última quinta-feira, 18, em reunião com empresários do setor motofretista, ligados ao sindicato patronal, o projeto “Entregas compartilhadas entre empresas filiadas”. O encontro teve início 09:20hs, na sede da Motojá.

Com o modelo de trabalho tradicional desgastado, o sindicato traçou novas estratégias a fim de suplantar a crise e, assim, dar nova cara as entregas expressas em Brasília e entorno. O projeto piloto apresentou três novas formas de trabalho, visando à contínua arrecadação, o suporte entre os estabelecimentos e maior agilidade dentro das empresas.

A primeira frente trata das encomendas referentes à distribuição. Nessa etapa, Segundo Reinaldo, a empresa que estiver com entregas acumuladas, vai entrar em contato com uma das empresas parceiras e solicitar suporte. “A empresa que der o auxílio, receberá uma porcentagem pelo serviço prestado, mas é claro que a preços menores. Beneficiando a empresa que requisitou a ajuda e a que executou o serviço”, explica.

Já com as entregas avulsas funcionaria da seguinte maneira. Se o estabelecimento agendar uma entrega, mas no horário previsto ele percebe que não vai conseguir cumprir aquela demanda, para não perder o cliente, a empresa entrará em contato com alguns dos filiados, que enviará um motofrete para executar o serviço. De acordo com o idealizador do projeto, a forma de pagamento aqui é diferente. “Nessa situação, entendemos que as duas empresas são responsáveis pelo serviço, por isso o pagamento recebido do cliente será distribuído entre as duas partes, mas com uma ressalva. A empresa que executou o serviço ficará com a porcentagem mais significativa”, pontua Reinaldo.

E por fim, o compartilhamento de motofrete locado. São frequentes os problemas que as empresas enfrentam, quando um motofrete não comparece ao cliente terceirizado. A ausência desse colaborador tem que ser suprida de forma imediata, o que acaba atrapalhando as outras entregas.  Para evitar esse tipo de transtorno, a empresa que sofreu o desfalque vai remunerar uma das filiadas para que seja feita a substituição. Mas, o serviço terá preço módico. Dessa forma, a empresa que requereu o auxílio não terá problemas para cumprir o contrato com o cliente, e a contratada não perderá dinheiro com o funcionário que se encontra ocioso.

Um dos participantes da reunião, sr. André Melquides, gostou do novo modelo de trabalho, mas questionou o que aconteceria caso a empresa dele não tivesse motofrete disponível. “Eu estou com poucos funcionários e, dificilmente, conseguirei atender alguém. Pelo contrário, acho que vou precisar de suporte. Tem algum problema?”, questiona André. O presidente do Sindeeco – DF disse que não há problema nenhum nessa situação. “Essa nova frente de trabalho foi criado para darmos suporte uns aos outros. A intenção é cobrir alguma falta, é auxiliar na hora do imprevisto”, explica Reinaldo.

O projeto também conta com a utilização do WhatsApp como ferramenta de comunicação. “Utilizaremos o aplicativo como uma importante ferramenta de trabalho. Nele postaremos quantos motofretes estarão disponíveis naquele momento. Assim, quem ficar interessado poderá chamar o emissor da mensagem no privado”, conta o presidente do Sindeeco.

Esclarecidas todas as dúvidas, os empresários deram início às discussões das regras que irá regimentar o acordo. “É importante que todos cumpram o contrato. Temos que entender que esse projeto tem que ser colocado em prática para auxiliar nas dificuldades, e se deixarmos de pagar, a outra empresa ficará prejudicada”. É válido ressaltar que só poderão ingressar no projeto aqueles que são filiados ao sindicato.

Poucos participantes

O Sindeeco – DF tem lutado para conscientizar os filiados e os que ainda não o são, da importância de se unir. Segundo Reinaldo Pereira, não tem sido fácil, porque muitos só procuram o sindicato patronal quando a coisa realmente aperta. “Precisamos mostrar que estamos unidos. Infelizmente, não temos tanta força, mas tudo isso é reflexo da irresponsabilidade e desinteresse dos empresários do segmento. Se fôssemos unidos estaríamos em situação melhor. Mas, vamos continuar lutando”, finaliza.

Repórter: Jusciléia Santos

Assessoria de Comunicação

Sindeeco – DF

Nenhum comentário.

Mais de 12 mil empresas do DF podem ser excluídas do Simples Nacional

Contribuintes têm até 31 de agosto para regularizar as dívidas com o governo de Brasília, caso contrário podem ser retirados do regime tributário

As 12.036 empresas de Brasília inseridas no Simples Nacional e notificadas pelaSecretaria de Fazenda têm até 31 de agosto para regularizar as dívidas sob pena de serem excluídas do regime tributário. Juntos, os contribuintes devem cerca de R$ 35 milhões em impostos ao governo e precisam atualizar os documentos no cadastro fiscal.

A secretaria enviou mais de 9 mil comunicados sobre as dívidas tributárias via área restrita do Agênci@Net (canal de relacionamento para pessoa jurídica), e cerca de 3 mil empresas devem atualizar o cadastro do fisco local.

Os boletos atualizados para o pagamento podem ser retirados diretamente pelo portalda Secretaria de Fazenda ou presencialmente em uma das agências da Receita do DF ou nos postos do Na Hora.

Após o acerto das pendências financeiras e cadastrais, todos são retirados automaticamente da lista de exclusão do Simples Nacional. Não será preciso fazer nenhum procedimento administrativo.

O que é o Simples Nacional

O Simples Nacional é um regime que estabelece tratamento tributário diferenciado às micro e pequenas empresas em todo o País, com ações como a arrecadação única de impostos e de obrigações acessórias.

Fonte: Agência Brasília

Assessoria de Comunicação

Sindeeco – DF

Nenhum comentário.

Metade dos veículos do DF está com licenciamento atrasado, diz Detran

Em todas as regiões, 880 mil veículos estão sem o pagamento em dia. Débito em documentação gera multa de R$ 191 e sete pontos na carteira.

Mais da metade (53%) dos 1,6 milhão de veículos do Distrito Federal não estavam com licenciamento em dia até esta segunda-feira (18), informou o Detran. A menos de três meses do início da fiscalização, 880 mil veículos ainda tinham débitos. A partir de 1º de outubro, o órgão começa a cobrar o pagamento da documentação de 2016.

Até esta terça (19), 768 mil licenciamentos veiculares foram quitados. Em 2015, o Detran registrou uma procura diária de 12 mil pessoas para quitar os pagamentos de IPVA, Dpvat, a taxa de licenciamento e eventuais multas.

“A nossa preocupação é que o motorista deixe para a última hora e aconteça como no ano passado: 12 mil pessoas em um único dia procuraram o Departamento de Trânsito para emissão do documento”, afirmou o diretor de fiscalização do Detran, Silvain Fonseca.

Cerca de 40% dos documentos enviados pelo Detran aos motoristas retornam à origem por desatualização cadastral no endereço dos motoristas.

“Se a pessoa mudou de endereço, ela é obrigada a comunicar o órgão de trânsito a atualização do seu endereço para que possa receber seu documento no seu endereço atual. Ele procura uma agência do Detran para atendimento, leva um comprovante de residência, um documento de identidade, preenche o requerimento e na hora vai ser atendido e já modificado o endereço para o novo domicílio”, complementa Fonseca.

O motorista que for flagrado com a documentação atrasada leva sete pontos na carteira e uma multa de R$ 191. A partir de 4 de novembro o valor da punição vai aumentar para R$ 293. A professora Luciana Menino aguarda apenas a chegada do 13º salário para regularizar os pagamentos.

“Ano passado eu levava criança de colo e cortava fila, esse ano não dá mais. A criança não está mais no colo. Esse ano não tem desculpa, vou precisar pagar o quanto antes.”

Fonte: G1/DF

Assessoria de Comunicação

Sindeeco – DF

Nenhum comentário.

Multas por farol baixo no DF serão ‘perdoadas’, anuncia Rollemberg

Câmeras do DER flagraram desrespeito à lei 5.055 vezes em 1 semana. Multa e pontos na carteira serão convertidos em advertência, diz GDF.

As multas aplicadas a motoristas do Distrito Federal que foram flagrados dirigindo com farol alto desligado em rodovias serão canceladas, anunciou o governador Rodrigo Rollemberg no domingo (17). A medida “perdoa” 5.055 multas flagradas pelas câmeras do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) em apenas uma semana – média de 30 multas por hora.

A lei começou a valer em todo o país no dia 8 de julho. Ela obriga o condutor a ligar o farol baixo (aquele usado à noite) sempre que trafegar em rodovias, mesmo durante o dia. O motorista flagrado pega multa de R$ 85,13 e ganha oito pontos na carteira. Com a medida de Rollemberg, a sanção será transformada em advertência.

“Isso é uma medida educativa. O objetivo do governo não é arrecadar, e isso tá previsto no código nacional de transito no artigo 256, a possibilidade de converter multa em advertência”, afirmou Rollemberg. “Essa é uma medida nova, as pessoas ainda não estavam acostumadas com ela e nós entendemos que seria positivo transformar essas multas em advertências.”

O governador informou ter tomado a decisão após analisar o caso com o DER e o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar. A decisão do governo do DF só vale até esta segunda-feira (18). As infrações cometidas a partir desta terça serão contabilizadas normalmente.

Segundo o Departamento de Estradas de Rodagem, o DF tem cerca de 2 mil quilômetros de rodovias federais, distritais e vicinais. Com o farol baixo ligado, o DER diz que espera reduzir os índices de acidentes com gravidade e mortes nas estradas.

A lei federal foi sancionada em 23 de maio e exige o uso das luzes para melhorar a visibilidade dos veículos. Segundo o diretor do DER, Henrique Luduvice, o órgão realizou campanhas educativascom os motoristas do DF antes de a lei entrar em vigor. Veja nesta reportagem onde o farol é obrigatório no DF.

 

Fonte: G1/DF

Assessoria de Comunicação

Sindeeco – DF

Nenhum comentário.

Farol ligado nas rodovias durante o dia agora é Lei

Na última sexta-feira, 8 de julho, entrou em vigor a Lei 13.290/2016, ela determina que todos os veículos circulem com o farol baixo ligado, durante o dia, em todas as rodovias do País. A lei foi sancionada pelo presidente interino, Michel Temer , e publicada no DOU (Diário Oficial da União) no dia 24 de maio. A partir da data de publicação, todos os condutores tiveram 45 dias para se adaptar as novas regras.

No Distrito Federal, as Campanhas Educativas realizadas pelo DER – DF (Departamento de Estrada e Rodagens do Distrito Federal) com intuito de conscientizar os motoristas sobre a norma, acontecem desde o dia 27/06, e serão encerradas no dia 18 julho. O DER vai realizar mais de 30 ações preventivas em todo o Distrito Federal.

É necessário salientar que a capital do país e suas regiões administrativas são cortadas por muitas rodovias. Nesse caso o DER aconselha que o farol esteja sempre ligado. “Andem sempre com os faróis ligados. Lembrando que o farol de milha, o farol de neblina e a luz de posição (farolete) não substituem o uso dos faróis baixo nas rodovias”, completa o órgão.

Antes, a obrigatoriedade era restrita, apenas, para as motos e similares, com a ressalva que para estes veículos, os faróis devem ser acionados tanto em rodovias como nas vias urbanas (dia e noite). Nesse caso, os condutores que infringirem a Lei, respondem por infração gravíssima, pagando uma multa de R$ 191,54 e terão o direito de dirigir suspenso.

Já para carros, caminhões, carretas e afins, as penalidades são mais brandas. A infração é média, com multa de R$ 85,13 e quatro pontos na carteira de habilitação.

A autoria do projeto partiu do deputado Rubens Bueno (PPS-PR). De acordo com ele, a baixa visibilidade nas estradas foi apontada como uma das principais causas de acidentes nas rodovias. “Os condutores envolvidos continuam relatando que não visualizaram o outro veículo a tempo para tentar uma manobra e evitar a colisão” declara o deputado. (Agência Senado).

Sistema DRL

Na quarta-feira, 6, o Denatran (Departamento de Estradas e Rodagens) divulgou um ofício, onde afirma que o farol de rodagem diurna (em inglês, conhecido como DRL) pode ser utilizado, durante o dia, para os fins que determina a Lei 13.290/2016.

Segundo o órgão, mesmo que a Lei não tenha previsto o uso do sistema DRL, o Código de Trânsito Brasileiro, reconhece que o dispositivo, já regulamentado pelo CONTRAN, pode ser utilizado em substituição ao farol baixo nas rodovias, durante o dia. Pois o objetivo do farol de rodagem diurna é justamente melhorar a visibilidade do veículo no período diurno, o mesmo proposto pela nova lei.

Mas o órgão reforça mais uma vez que o farol de neblina, o farol de milha e a luz de posição (farolete), não cumprem a função exigida pela lei.

Assessoria de Comunicação

Sindeeco – DF

Nenhum comentário.

OBSERVATÓRIO orienta para viagem segura na Semana Santa

Já preparado (a) para a viagem do feriado prolongado de Páscoa para curtir a família ou amigos? Independente de seguir para a praia, regiões serranas ou para o interior, como muita gente pega a estrada já nesta quinta-feira, dia 24, o OBSERVATÓRIO faz alertas para que sua viagem seja a mais segura.

Ciente que toda viagem nos induz à correria, não saia antes de ler nossas dicas e colocá-las em prática:

– Para pegar a estrada, seu veículo deve passar por uma revisão. Confira as condições dos pneus (inclusive o estepe), limpadores de para-brisa e itens de iluminação, além de sinalização como o triângulo;

– Se a sua viagem for longa, já tenha programadas as paradas para alimentação, abastecimento e descanso. E se enfrentar lentidões, não circule pelos acostamentos, que são espaços para serem usados só em emergência;

– Neste período, quando muitos veículos estão nas estradas, redobre a atenção; respeite a sinalização e trafegue sempre numa velocidade segura. Lembre-se que você não só deve respeitar a velocidade regulamentada, mas também evitar velocidade excessiva, aquela que você está dentro dos limites, mas em condições inadequadas para ficar com o ponteiro do velocímetro lá no alto. São situações de chuva, neblina, filas, direção no período noturno que exigem velocidade reduzida.

– Mesmo durante o dia, para ficar mais visível aos outros motoristas, mantenha sempre os faróis ligados;

– Não ligue o pisca-alerta com o veículo em movimento. Isso pode confundir os outros motoristas e causar um acidente;

– Mantenha sempre distância de segurança do veículo à frente para evitar choques e colisões.

Vale ressaltar, também, que você deve respeitar as proibições de bebida e uso do celular ao volante, use o cinto de segurança e faça todos usarem, além de ficar atento aos dispositivos de segurança para as crianças como as cadeirinhas.

Alerta aos veículos de carga

Para quem vai circular por rodovias federais, a PRF- Polícia Rodoviária Federal faz um alerta aos motoristas profissionais. Como acontece em todos os feriados prolongados, o tráfego de combinações de veículos de carga (CVC), de combinações de transporte de veículos (CTV) e de outros veículos portadores de autorização especial de trânsito será restrito nos trechos de pista simples em determinados dias e horários.

De acordo com a PRF, a restrição visa aumentar a fluidez do trânsito nas rodovias de pista simples, maior parte da malha viária nacional. Nos dias e horários de maior movimento, esses veículos não poderão transitar, independentemente de estarem descarregados ou possuírem Autorização Especial de Trânsito (AET).

O descumprimento desta proibição constitui infração de trânsito prevista no artigo 187 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), punível com multa de R$ 85,13.

Confira data e horários de restrição:

24/03/2016 – (quinta-feira) – 16h às 24h
25/03/2016 – (sexta-feira) – 06h às 12h
27/03/2016 – (domingo) – 16h às 24h

Agora, se for circular em rodovias sob concessão, procure também levar os telefones de atendimento, para casos de emergência.

Vídeo sobre acomodação de bagagens para ampliar também a sua segurança:

Fonte: Observatório Nacional de Segurança Viária

Assessoria de Comunicação

Sindeeco – DF

Nenhum comentário.